Bom dia! Hoje é segunda, 23 de abril de 2018
Home / Notícias / SAÚDE: A luta contra a Tuberculose continua no País

SAÚDE: A luta contra a Tuberculose continua no País

/
/
/
41 Visualizações

A Tuberculose ainda é um problema grave no Brasil. No ano passado, foram registrados mais de 69 mil casos da doença no País. E o pior, nem todo mundo que está doente faz o tratamento correto. Em 2016, a taxa de cura dos casos da doença era de 69%. Um dos principais motivos que leva a isso é a interrupção do tratamento. No mesmo ano, a taxa de abandono foi de mais de 9%. Esses dados revelam uma dificuldade dos brasileiros em concluir o tratamento. O subsecretário de Vigilância em Saúde do Rio de Janeiro, Alexandre Chieppe, destaca que o tratamento da Tuberculose é fornecido gratuitamente pelo SUS.
“O tratamento da Tuberculose está disponível nos serviços públicos de saúde. Nos postos de saúde. Mas ele envolve, necessariamente, a tomada de medicação diariamente por um período de, pelo menos, seis meses. O tratamento padrão é de seis meses. Um dos grandes problemas que a gente enfrenta no controle da Tuberculose é a alta taxa de abandono de tratamento. Isso causa dois grandes problemas: um, para o indivíduo, uma vez que não tratada, a doença pode progredir e levar eventualmente a óbito. E também leva ao maior risco de seleção de bactérias resistentes.”

No ano passado, o Ministério da Saúde instituiu no país o Plano Nacional pelo fim da Tuberculose, que pretende reduzir, até 2035, para dez os casos da doença a cada 100 mil habitantes. Mas, para isso acontecer, é preciso o comprometimento de toda população. Isso porque, se você não fizer o tratamento até eliminar a bactéria, você ainda pode acabar transmitindo a doença. É nisso que acredita a goiana Kassiane Sodré. Ela, que já foi diagnosticada com a doença, seguiu rigorosamente o tratamento até o final, e hoje está curada. Ouça o recado que ela passa pra você.

“Eu não tenho vergonha de falar que eu tive a doença, que eu me tratei, que hoje eu estou bem e que eu não passei a doença para ninguém. Eu acho que é um preconceito que precisa ser eliminado porque isso vem de geração. É uma cultura que a gente vem trazendo dos antepassados da gente. Todo mundo, se falar que está com Tuberculose, todo mundo fica assustado. ‘Nossa, vai morrer’. Todo mundo acha que vai morrer. Há tempos atrás essa doença não tinha cura, mas, hoje em dia, ela tem cura. Não é um bicho de sete cabeças. Basta você se tratar, se cuidar.”

A coordenadora do Programa Nacional de Controle da Tuberculose, Denise Arakaki, ressalta que, aos primeiros sintomas da doença, que é principalmente a tosse por mais de três semanas, o paciente deve procurar o médico.

“Uma vez feito o diagnóstico, o tratamento tem que ser instituído o mais precocemente possível. Por quê? Porque, quando a gente trata, aquele individuo deixa de contaminar outras pessoas nas primeiras duas semanas. Então, para proteger os seus familiares, ou a sua rede de contatos, é recomendável que se inicie o tratamento o mais precocemente possível. Além disso, o tratamento faz com que as condições clínicas do indivíduo se revertam rapidamente.”

Tratar a Tuberculose é um ato de cidadania. Ela tem cura, desde que o tratamento seja realizado até o final. Se uma tosse persistir por mais de três semanas, consulte um médico. Ajude a deixar essa história no passado. Tuberculose tem cura. Todos juntos contra a Tuberculose. Para mais informações, acesse saude.gov.br.

 

Por > Agencia do Rádio

 

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *